Altamente Cronicável

Por Luciana Pinsky

dia de homem
Meu dia de Homem

Um dia. Somente um dia.

Queria ser homem por um dia apenas. Sentir minha força aumentar, a inteligência explodir, as palavras rarearem. Pois, a ciência prova: homem é forte, inteligente e contido no discurso. Queria ser homem por um dia. Para carregar piano, tomar chope, fazer esporte. Queria acordar homem e não me preocupar com pelo e para. Nem ter variações de humor. Pois o humor masculino, todos sabemos, é estabilíssimo. Nesse dia serei alto, finalmente. E não soltarei uma lágrima sequer.

Talvez seja legal um aviso prévio para eu me preparar, pois acabei me acostumando em ser assim, toda mulher.

Quando for homem me vestirei em 30 segundos e partirei, indiferente ao espelho. Vou andar na rua despreocupadamente, sem desviar o olhar, sem evitar encontrão (que não haverá), sem pensar no caminho. Aliás, o caminho eu saberei por osmose, dispensando informação. Homem, mandarei e me obedecerão imediatamente. Claro: serei firme, nunca histérica. Genial e não geniosa. Excêntrico, nada louca. Cuidadoso, não ciumenta. Enérgico, não ansiosa. Dominarei o mar, subirei montanha, descerei de rappel (será um longo dia!), farei conta de cabeça. No dia em que for homem meu banho será rápido e gelado. Sim, porque homem é quente e prático. Ah, nesse dia até lavarei louça, porque serei um cara que ajuda.

Mas o auge do meu dia será, claro, namorar.

Não esperarei ser chamada, encontrada, resgatada, endeusada.Vou atrás, falarei o que quero, como quero, onde quero. Homem de atitude, não uma atirada. Afinal, terei milhões de espermatozoides a espalhar e não parcos óvulos a proteger com a vida.

Será que quando der meia-noite me conformo em ser mulher novamente?

Deixe uma resposta

Fechar Menu